[ editar artigo]

As pesquisas por voz e o futuro do conteúdo

As pesquisas por voz e o futuro do conteúdo

Você sabia que a quantidade de smartphones já ultrapassou em quase um bilhão a população mundial? 

A nossa maneira de utilizar a internet está mudando. E como estamos fazendo cada vez mais tarefas simultaneamente, as estatísticas de uso de busca por voz também estão crescendo.

A Comscore afirmou que até 2020, 50% de todas as pesquisas na internet serão feitas por voz. E toda a variedade de assistentes virtuais como Google Home, Alexa, Siri e Cortana estimulam esse panorama, tornando mais conversacional a busca por informações.

| Vou abordar no post

As tendências que acompanham as pesquisas por voz
O ranqueamento do Google para assistentes virtuais
Como otimizar seu conteúdo para consultas por voz

As tendências que acompanham as pesquisas por voz
Para compreender porque a quantidade de pesquisa por voz está aumentando, é importante observar que os acessos à internet via smartphones já supera o desktop.

Acompanhando esse fenômeno mobile, o voice search é bastante utilizado para perguntas como “restaurantes abertos perto de mim”. E, segundo o Google, os termos de busca “aberto" + "agora" + "perto de mim" cresceram 200% nos últimos dois nos.

Aliado a tudo isso, a busca por informações imediatas torna a pesquisa por voz um “auxiliador” para a rotina, pois ela geralmente ocorre quando o usuário já está fazendo outra coisa, como cozinhando, dirigindo, ou mesmo, assistindo TV.

O ranqueamento do Google na era das assistentes virtuais

Desde 2013, o algoritmo do Google passou a considerar a semântica do conteúdo, como sinônimos e interpretação lógica para o ranqueamento.

As seguintes atualizações do buscador também incluíram fatores complexos como a intenção da busca e a localização do usuário para o posicionamento nas SERPS (Search Engine Results Page).

Pensando na experiência dos consumidores, que buscam respostas rápidas, o Google Home (aparelho) e o Assistente do Google (opção para pesquisa em celulares e desktop) geralmente lêem conteúdos que aparecem como “snippets”, isto é, sites que estão classificados na “posição zero” do buscador.

Segundo a pesquisa realizada pela Backlinko, cerca de 40,7% de todos os resultados do Google Home vieram de um Snippet em destaque. 

Outro fator interessante da pesquisa é a observação que páginas com classificações mais altas no desktop possuem maiores chances de também apresentar uma boa colocação para o Google Home.

Como otimizar seu conteúdo para consultas por voz

Mantenha o cadastro do Google Meu Negócio atualizado

Como já citamos, o fator de geolocalização é extremamente importante para o algoritmo do Google.

Por isso, ter um cadastro completo com as informações da sua empresa ajuda a favorecer o posicionamento do seu site e facilita a busca do usuário, que poderá ter acesso facilitado ao horário de funcionamento, número de telefone e endereço do seu estabelecimento mais rapidamente.

Conheça as dúvidas do seu público

Muitas pesquisas de voz acontecem em forma de perguntas. Se você ainda não possui uma página para perguntas frequentes, esse momento é o ideal para estrutura-la e coloca-la no ar. Com uma pesquisa no Google Analytics, você pode descobrir quais são as perguntas que mais levam acesso ao seu site.

Outra possibilidade é conversar com o setor de vendas e atendimento, para saber quais são as maiores dúvidas dos clientes em relação ao seu produto, seja por telefone, redes sociais ou e-mail.

Você também pode pesquisar FAQs de concorrentes e utilizar o site AnswerThePublic.com para encontrar perguntas comuns que envolvem a sua área.

Lembre-se que a consulta por voz é mais conversacional

Diferentemente das buscas realizadas no desktop, o voice search costuma apresentar mais palavras, até mesmo quando o cliente se encontra no topo do funil. Isso altera um pouquinho as regras do jogo das quais já estamos acostumados no SEO.

Mas o importante aqui é buscar compreender cada vez mais a intenção da busca para tornar o funil assertivo e combinar as campanhas e mensagens ao real estágio do consumidor na jornada de compra.

Não releve a importância da cauda longa

Para conseguir um bom ranqueamento nas buscas, tenha atenção com a especificidade do conteúdo do seu site.

Quando falamos, temos o hábito de fazer perguntas mais específicas em comparação com a pesquisa realizada no desktop.

Para produzir uma experiência fluída para o seu público na pesquisa por voz, certifique-se de que as páginas do seu site correspondam às dúvidas de forma não genérica.

A pesquisa da Backlinko afirmou que a contagem média de palavras das páginas que aparecem como resultado para o Google Home é de 2.312.

Mas lembre-se que isso não é uma regra específica. A probabilidade, segundo o estudo, é de que mais palavras significam maiores chances de corresponder ao resultado.

Comunidade Vetsign
Paulo Sabbanelli
Paulo Sabbanelli Seguir

Sólida experiência em Marketing Digital com amplo conhecimento em tecnologias para internet. Atuação na indústria e comércio (importação e indústria náutica), assessoria de imprensa, agência de comunicação Integrada, e-commerce e setor imobiliário.

Ler matéria completa
Indicados para você