[ editar artigo]

O impacto dos micro-momentos nas suas estratégias de marketing atual

O impacto dos micro-momentos nas suas estratégias de marketing atual

Estamos sufocados de informações e ao mesmo tempo, sempre buscando por elas. De preferência, o mais rápido possível.

Na modernidade líquida, onde tudo muda o tempo todo, formular estratégias que convertam é uma tarefa cada vez mais complexa.

| Vou abordar no post:

  • O contexto da hiperconectividade
  • A transformação da jornada do consumidor e os micro-momentos
  • Um conceito atemporal: a conversa significativa
  • O contexto da hiperconectividade

Não é novidade que o uso de smartphones está presente no nosso dia a dia, ou melhor, durante nosso dia inteiro.

Acordamos e checamos nosso e-mail. Tomamos café, respondemos mensagens, verificamos os compromissos, abrimos a lista de tarefas e tudo isso, muitas vezes, ao alcance das nossas mãos.

O fenômeno conhecido como “Era Mobile”, vivenciado por grande parte da população, apresenta números bem altos, inclusive no Brasil.

Na última pesquisa do IBGE, foi revelado que 64,7% dos brasileiros (com 10 anos ou mais) possuíam acesso à internet. Entre os conectados, 94,6% afirmaram que acessam a rede via celular. E segundo o instituto, o número de acessos via celular aumenta ano após ano.

Essas estatísticas estão de acordo com a pesquisa do Google, que revela que “80% dos brasileiros que possuem esses aparelhos usam seus dispositivos para saber mais sobre algum produto ou serviço que querem comprar.”

A transformação da jornada do consumidor e os micro-momentos

O surgimento do conceito de micro-momentos explica como as informações são consumidas no ambiente digital.

“Esperar é coisa do passado e isso se traduz em um comportamento de micro-momentos, no qual a primeira coisa que fazemos quando queremos ir a algum lugar, fazer uma compra ou saber sobre alguma coisa, é consultar o smartphone.“
Sridhar Ramaswamy,  chefe de publicidade do Google

A pesquisa no buscador pode ter como objetivo, por exemplo: aprender um idioma, pesquisar restaurantes próximos, descobrir como consertar um móvel ou comparar preços de uma futura compra.

Resumindo, todos esses tipos de ações foram organizados pelo Google em 4 micro-momentos:

  • Eu quero saber
    Aprender sobre um novo conceito, satisfazer curiosidades.
  • Eu quero ir
    Buscar rotas, pesquisar endereços.
  • Eu quero fazer:

Pesquisar como fazer algo, dicas práticas.

  • Eu quero comprar:

Procurar avaliações, comparações de preços, ofertas semelhantes.

Toda essa busca constante por informações afeta diretamente na jornada do consumidor, que bem informado, procura, sobretudo, a melhor assistência para suas dúvidas. 

E como ajudá-lo de forma eficiente?

Um conceito atemporal: a conversa significativa

O Google apontou três princípios que as pessoas esperam do mobile: "me ajude mais rápido", "me conheça melhor" e "me surpreenda onde quer que eu esteja".

Nesse contexto, proponho alguns questionamentos:

  • Como você disponibiliza as informações sobre seu produto ou serviço?
  • Você facilita o caminho para ser encontrado pelo seu cliente? 
  • Você procura ajudá-lo antes de apenas oferecer as soluções da sua empresa?

Na era da atenção fragmentada, é importante conhecer todos os momentos de interação do consumidor com a sua marca.

Assim, é possível identificar oportunidades e principalmente, criar conteúdos significativos ao longo da jornada, que compreendem diferentes tipos de necessidades e vontades.

Pois, afinal de contas, mesmo na realidade imediatista, ainda queremos ouvir boas histórias, sermos ouvidos e compartilhar boas experiências.

Comunidade Vetsign
Paulo Sabbanelli
Paulo Sabbanelli Seguir

Sólida experiência em Marketing Digital com amplo conhecimento em tecnologias para internet. Atuação na indústria e comércio (importação e indústria náutica), assessoria de imprensa, agência de comunicação Integrada, e-commerce e setor imobiliário.

Ler matéria completa
Indicados para você