[ editar artigo]

O Responsável Técnico no Mercado Pet..

O Responsável Técnico no Mercado Pet..

 

Dentre os personagens do mercado pet, vamos destacar um que merece total atenção dada a sua importância técnica e ao cenário de situações bizarras e surpreendentes que estamos vendo em nosso dia a dia atuante como profissionais do segmento.

Infelizmente para muitos dos que estão lendo essa matéria, a presença do RT é ainda uma imposição dos órgãos fiscalizadores , um absurdo impositivo, e um tipo de relação extremamente prostituída por ambas as partes da mesma, onde um finge que vai e o outro finge que paga...

Cria-se então uma concepção equivocada, alimentada por esses hábitos e pensamentos descritos acima, de que o RT seria apenas necessário, cuja assinatura significa a possibilidade da abertura do negócio...mas a sua presença não seria tão indispensável assim, gerando situações absurdas como colegas que assinam por valores irrisórios, que trocam suas ARTs por pagamento de suas anuidades e até mesmo por cestas básicas, ou pior, comentem grave infração do código de ética ao trocarem suas ARTs por plantões clínicos concomitantes no mesmo horário, o que constitui infração sujeita à penalidades impostas pelo CRMV onde atua.

Infelizmente o próprio Médico Veterinário desconhece o que é ser Responsável Técnico, e ao entrarmos no mercado de trabalho somos cobrados por todos os lados, por várias esferas fiscalizatórias como Visa, Mapa, Código de Defesa do Consumidor, Ministério do Trabalho e nossos próprios Conselhos.

Responsabilidade: “do ato de ser responsável, responder legal e/ou moralmente por seus atos, pelo bem estar e pelos seus compromissos”.

Técnico: “...perito, expert, conhecedor, sábio, especialista”.

O RT  é o profissional que possui o conhecimento técnico, utilizando-o para dar ao consumidor a qualidade do produto final ou do serviço prestado de maneira ética e técnica, embasado por instrumentos legais. Responde civil e penalmente por eventuais danos que possam ocorrer ao consumidor decorrentes de sua conduta profissional, uma vez caracterizada sua culpa, seja por negligência, imprudência, imperícia ou até mesmo omissão.

Em última análise, ser o RT é, acima de tudo, ser um gestor, um coordenador do estabelecimento veterinário em vários momentos-verdade, em várias situações na qual a presença de um profissional qualificado garantirá a qualidade dos processos, produtos e serviços oferecidos `a sociedade como um todo dentro do estabelecimento certificado por este profissional.

Notas:

 

1 – Atividades Básicas – aquelas descritas na legislação básica

2 – Atividades Acessórias – aquelas que são diferenciais de serviço, como treinamento dos funcionários, palestras educacionais, estruturação de lay-out, suporte aos vendedores etc...

3 – Contrato Extra – É o contrato de exercício da função clínica.

 

Comunidade Vetsign
Dr. Sergio Lobato
Dr. Sergio Lobato Seguir

Médico Veterinário formado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Pós Graduado em Marketing e Estratégia pela Universidade Estácio de Sá, Colunista em Revistas e Blogs. Autor da Manual de Responsabilidade Técnica para Clínicas e Petshops

Ler matéria completa
Indicados para você